27 de jul de 2011

Amar ou se contentar?!

Casar-se com um lindo vestido branco, um radiante véu sobre a cabeça e um incrível buquê  nas mãos contrariadas. Casar-se com uma igreja lotada de pessoas estranhas, presentes caríssimos, e alguém que não se ama. Casar-se com uma bela maquiagem, cabelos envoltos num impecável penteado e um sorriso triste no rosto. Casar-se por conveniência, por status, ou porque está “na hora”.
Casar-se de mãos dadas numa fuga sem planejamento. Casar-se com os olhos que nos refletem, com o sorriso de cumplicidade e gestos desajeitados. Casar-se com o interior, com o rosto iluminado pelo sol ou pela lua. Casar-se com as palavras soltas ou guardadas no fundo da alma. Casar-se com as lágrimas, com os momentos de fúria, de derrota, de tristeza ou alegria incontrolada. Casar-se com o toque da pele, o sussurrar nos ouvidos, o beijo carinhoso. Casar-se com a companhia, com as conversas bobas ou sérias demais.Casar-se e casar-se... Eis a grande diferença!!!
Amar ou se contentar?!  

21 de jul de 2011

Se eu morrer antes de você...

"Se eu morrer antes de você, faça-me um favor.
Chore o quanto quiser, mas não brigue com Deus por Ele haver me levado.
Se não quiser chorar, não chore.
Se não conseguir chorar, não se preocupe.
Se tiver vontade de rir, ria.
Se alguns amigos contarem algum fato a meu respeito, ouça e acrescente sua versão.
Se me elogiarem demais, corrija o exagero.
Se me criticarem demais, defenda-me.
Se me quiserem fazer um santo, só porque morri, mostre que eu tinha um pouco de santo, mas estava longe de ser o santo que me pintam.
Se me quiserem fazer um demônio, mostre que eu talvez tivesse um pouco de demônio, mas que a vida inteira eu tentei ser bom e amigo.
Se falarem mais de mim do que de Jesus Cristo, chame a atenção deles.
Se sentir saudade e quiser falar comigo, fale com Jesus e eu ouvirei. Espero estar com Ele o suficiente para continuar sendo útil a você, lá onde estiver.
E se tiver vontade de escrever alguma coisa sobre mim, diga apenas uma frase:

— "Foi meu amigo, acreditou em mim e me quis mais perto de Deus!"

Aí então, derrame uma lágrima.
Eu não estarei presente para enxugá-la, mas não faz mal.
Outros amigos farão isso no meu lugar.
E, vendo-me bem substituído, irei cuidar de minha nova tarefa no céu.
Mas, de vez em quando, dê uma espiadinha na direção de Deus. Você não me verá, mas eu ficaria muito feliz vendo você olhar para Ele.
E, quando chegar a sua vez de ir para o Pai, aí, sem nenhum véu a separar a gente, vamos viver, em Deus, a amizade que aqui nos preparou para Ele.
Você acredita nessas coisas?
Então ore para que nós dois vivamos como quem sabe que vai morrer um dia, e que morramos como quem soube viver direito.
Amizade só faz sentido se traz o céu para mais perto da gente, e se inaugura aqui mesmo o seu começo.
Mas, se eu morrer antes de você, acho que não vou estranhar o céu. . . Ser seu amigo já é um pedaço dele!"

Chico Xavier




P.S O Dia do Amigo foi ontem 20/07 e pela correria do dia acabou passando em branco, mas hoje, aqui estou para agradecer aos meus amigos pela companhia, pelos sorrisos, pelas lágrimas, pelos momenos únicos que cada pessoa pode proporcionar ao outro. Não se pode amar duas pessoas da mesma maneira, simplesmente não é possível. E aos que me emprestam sua amizade de forma única todos os dias, quero dizer obrigada. Bom demais tê-los em minha vida!!

15 de jul de 2011

E agora?

Algum palpite sobre como tomar as decisões corretas? Estou nessa de esperar que alguém, numa bela tarde ensolarada, bata a minha porta me apresentando um manual sobre como tomar a melhor das decisões entre tantas que me aguardam. Talvez assim eu não precise mais machucar as pessoas que amo, ou passar noites em claro desejando voltar ao passado para refazer tudo novamente, ou quem sabe ainda, poupe algumas lágrimas de decepção, de desespero, de fracasso...
Que tal se o próximo passo a ser dado viesse com flechas de indicações? Para frente, para a direita, ou não, não para a esquerda... Não pouparíamos tantas lembranças do passado, tendo em frente dias de felicidade certa?
E se ao invés de termos que cair apenas com a coragem e a esperança em relações que muitas vezes nos deixam feridos, desacreditados, não víssemos diante de nossos olhos um pisca - alerta de luzes coloridas nos indicando se estamos seguindo certo ou errado?
É, como seria bom!! Eu diria PER-FEI-TO. Mas infelizmente isso não é possível, e me perguntando hoje sobre como tomar a melhor das decisões, eu cheguei à conclusão de que nada melhor do que acreditar em si mesmo. Acreditar no que nosso coração diz, no que desejamos de verdade viver. Assim, se o arrependimento bater, ao menos não teremos muito do que se queixar.
E nos bastar, nos bastar sempre, e quando procurarmos estar com alguém, fazer isso ciente de que estamos juntos porque gostamos, porque queremos e nos sentimos bem, nunca por precisar.
As pessoas não se precisam, elas se completam. Não somos metades, somos pessoas inteiras, e cabe a cada um decidir se está disposto a se dividir, e se decidido pelo sim, que soframos as consequências, sem arrependimentos.
Não estamos neste mundo para satisfazer as expectativas dos outros, assim como ninguém está aqui para satisfazer as nossas.

1 de jul de 2011

Pequenos gigantes.

Um sorriso mudo, um olhar travesso apagado, uma alegria calada... Crianças não deviam morrer.
São anjos!! Fortaleza em dias de fraqueza, gargalhadas em dias de lágrimas, e a certeza de que o amanhã existirá e será maravilhoso... São nossas cores, em dias preto e branco.
As crianças não deviam ter doenças, não deviam sangrar, não deviam sentir dor... Elas não!!
Não deviam chorar, não deviam sentir-se abandonadas e nem desprezadas... Não elas!! Criaturinhas mágicas que encontram encanto nos mesmos desenhos, centenas de milhares de vezes, mesmo sabendo como acabarão... Contentam-se com uma folha, lápis de cor e a possibilidade de pôr ali seus maiores desejos... Uma boneca nova, um carrinho de controle remoto, um vestido de princesa, uma roupa de super-herói...
Choro pelas milhares de crianças que partem deste mundo a cada novo minuto, crianças que sofreram, que não entenderam porque lhe enfiavam uma agulha no braço se estavam sendo bons meninos ou meninas. Não entenderam porque tiveram que deixar suas vidas rotineiras para ficarem presas em um quarto, cheias de fio, de tubos pela garganta, de remédios cada dia piores.
Crianças que não souberam o que é um abraço, um sorriso de cumplicidade, um pedido atendido, uma cama quentinha, um brinquedo desejado, ou mesmo um sapato para calçarem seus pés sempre pisando chãos frios e duros.
Se soubéssemos que no fundo somos apenas seus super-heróis favoritos. Talvez começaríamos a agir como tal.


P.S. Para uma pequenina grande guerreira, Ana Luiza... Que Deus nos permita continuar com ela, mas se for de Sua vontade levá-la, que tenhamos sabedoria para seguir lutando como ela, enfrentando os problemas de frente, sem medo e sem receio do que nos espera adiante.