10 de dez de 2011

A Hora da Estrela

Sonhava em ser uma atriz de cinema. Representar milhares de personagens em sua própria vida, e correr o mundo contemplando tantas maravilhas.
No entanto, nem mesmo em sua própria vida conseguira ser a atriz principal... Como coadjuvante viveu cada dia.
Tola, solitária, doce e obediente, alimentava a lembrança de uma infância triste e uma saudade do que poderia ser e não foi.
Vivera de acordo com o que os ventos do cotidiano lhe sopravam... Pobre, humilde, honesta e incapaz de dizer suas vontades.
Ela vivia os dias como se cumprisse apenas um roteiro, que mais cedo ou mais tarde chegaria ao fim.
Das pessoas a sua volta o único sentimento que despertava era a pena... Não conseguia levantar os olhos para sequer receber um elogio.
Como um cachorro que é cachorro sem saber, ela não questionava, e se questionada responderia “Já que sou, o jeito é ser.”
Sem sonhos, sem expectativas, sem vocação e sem objetivos. Acreditava mesmo que foi “soprada” no mundo. Um cisco soprado do olho teria mais importância, diria.
Seu único luxo era ir ao cinema uma vez por mês. Sua grande paixão, “goiabada com queijo”. E seu único prazer, acordar aos domingos bem cedo para ficar mais tempo sem fazer nada.
No cais do porto, olhando a distância os chamados dos navios, sentia o coração apertar. Não sabia explicar, tampouco isso importava. Se havia algo novo para experimentar em sua insignificante vida, isso lhe bastava com toda a certeza.
Namorou certa vez, mas do tamanho de sua simplicidade era o tamanho do interesse desse rapaz. E assim, como algo que parece que nunca existiu, esse romance teve um ponto final... Ela não chorou, não brigou. Apenas pensou que assim devia ser.
Não sabia, mas seria protagonista da sua vida. Brilharia como sua atriz de cinema favorita. E por incrível que pareça, teria plena consciência disso tudo. Pena que seria tarde demais, pena que seria seu último dia. O dia de sua morte.

P.S Hoje, aniversário de Clarice Lispector, eu não poderia deixar passar em branco. Alguém que viveu com tanta intensidade suas escritas, e nos permitiu viver junto com ela, só poderia ser alguém muito especial.
Esse texto que escrevi, descreve um dos personagens de Clarice. A garota Macabéa da obra “A Hora da Estrela.” O último livro escrito por Clarice, e que talvez tenha muitas características com seus últimos dias de vida. Sei que o que escrevi não está a altura do que é o livro, mas se comparado ao que é esta escritora, isso seria uma tarefa impossível.
Quantas Macabéas existem nesse mundo? Quantas pessoas não vivem suas vontades, nem tampouco ditam as regras de sua vida? Vêem seus sonhos passarem, vêem os navios partirem do cais do porto, e embora sintam seus corações apertados, não têm coragem de correr até lá e viver essa aventura.

A vida pode ser bastante triste ou bastante alegre. Depende de como você escolhe vivê-la.

24 de out de 2011

Morrer, e renascer mais humana a cada novo dia.

Ela não podia mais viver de sonhos. O tempo havia passado.
Olhar distante, coração em ritmo lento, e a partida marcada... Quantas recordações!
Hoje não tinha dúvida do quanto havia desperdiçado sua vida. O vento soprado em seu ouvido trazia palavras que havia deixado no ontem, mas que lhe agonizavam ainda hoje.
Amara uma única vez em toda a vida. Daqueles amores que não precisam ser revelados, mas que estão ali, entre linhas. Presentes de forma mágica e inexplicável.
Ao longe, num passado remoto, apagado com a neblina do tempo, conseguia visualizar aquelas tardes em família... Risos fáceis, histórias animadas, e a voz de uma garotinha ecoando pelo ar, contando seus contos de fada, suas queixas e gostos sempre tão peculiares. O que os anos não fizeram consigo, pensou. E sentiu saudade daquele corpinho tão miúdo, mas que lhe permitia correr por onde quisesse.
A vida não havia sido fácil! Alto e baixo, amor e ódio, alegria e tristeza, risos e lágrimas... Tudo sempre havia lhe sido entregue assim. Um pé aqui, e o outro lá.
Mais do que em qualquer outro dia, desejava poder olhar cada um dos rostinhos de seus amigos. Guardar cada expressão, cada olhar, cada gesto... Aprendera com o destino que um dia as pessoas partem, e gostar delas não impede que isso aconteça.
Em poucos meses, dias ou horas, como saber?! Deixaria essa vida para nunca mais voltar. Não voltaria a ser aquela garotinha que sonhava em ser bailarina. Nem aquela jovem que adorava passar horas deitada debaixo de um céu estrelado imaginando como seriam solitárias as estrelas. Menos ainda aquela mulher que em segredo escrevia seu diário, criava seus próprios personagens, jamais conhecidos por qualquer um que fosse, mas que lhe ajudavam a enfrentar seus medos, seus fantasmas.
Nada mais importava agora... Alguns precisavam partir, para que outros pudessem chegar! O que era a vida senão um grande desencontro?!
Sorriu, e pela última vez sentiu uma sensação boa.
Um último suspiro e já não pensava mais... Dores, desconforto, solidão, desprezo, desespero... Tudo partira!! Para além... Além do que os olhos pudessem ver, os corações pudessem sentir, e os mundos pudessem acreditar... Ela partira, como se nunca tivesse chegado.

16 de ago de 2011

Seria apenas mais uma história, se não tivesse tocado a alma.

Sonhava tanto com aquele momento. Havia criado e recriado aquela cena centenas de milhares de vezes.
O clima, as palavras, as expressões... Tudo havia sido estudado detalhadamente.
Como uma bagagem em que se arruma cautelosamente no dia anterior à viagem, tudo estava em seu devido lugar.
Olhos brilhando, coração aos pulos...  Será que finalmente a revelação seria feita?!
Já havia facilitado esse acontecimento em diversas circunstâncias. Não tinha coragem para o primeiro passo, mas a partir dele estava pronta para todos os demais.
Recuou em outras tantas oportunidades. Mas, convencida de que o momento certo ainda não havia chegado... Calou, chorou e se desesperou... Por fim, optou pelo tempo – o melhor remédio de todos – pensou e repensou – talvez não fosse tão bom assim, retrucou, mas deixou.
O momento era aquele. AQUELE!! Repetia para si mesma a cada minuto de incerteza, a cada minuto de espera.
Quantas cartas escritas e rasgadas... Quantos e-mails digitados e deletados... Quantas ligações feitas e caladas... Arrependimento?! Não sabia, talvez o sentimento não fosse bem esse.
Já o outro - o grande responsável por todo esse conflito interior - parecia disperso em seu mundo. Olhar distante, sorriso perdido...
Por fim... O momento!!! As palavras começaram a surgir, e uma a uma formavam as frases que tanto quis dizer. Acreditava nisso, esperava isso...
No entanto, o mundo e suas surpresas... O outro, e seus enigmas!!!
Em seguida, vivenciou o que sempre havia temido... Palavras se convertendo em frases, e frases em textos terríveis, que por sua vez, traziam uma mensagem que tanto temia, e que nem em seus piores momentos chegou a acreditar que pudessem ferir assim.
E apenas se defendendo da dor que sentia - o outro - dizia que não podia aceitar um amor que não soube se manifestar, que ficou sufocado pelo medo, que não superou o receio...
Levantou-se e partiu... Para sempre!! Para além de seus olhos...
Ela, lágrimas nos olhos, vazio no peito, desespero na alma... Desejava desaparecer!! Nem tanto pela despedida que fora obrigada enfrentar... E sim, pela pior covardia de sua vida: Esconder um amor.

27 de jul de 2011

Amar ou se contentar?!

Casar-se com um lindo vestido branco, um radiante véu sobre a cabeça e um incrível buquê  nas mãos contrariadas. Casar-se com uma igreja lotada de pessoas estranhas, presentes caríssimos, e alguém que não se ama. Casar-se com uma bela maquiagem, cabelos envoltos num impecável penteado e um sorriso triste no rosto. Casar-se por conveniência, por status, ou porque está “na hora”.
Casar-se de mãos dadas numa fuga sem planejamento. Casar-se com os olhos que nos refletem, com o sorriso de cumplicidade e gestos desajeitados. Casar-se com o interior, com o rosto iluminado pelo sol ou pela lua. Casar-se com as palavras soltas ou guardadas no fundo da alma. Casar-se com as lágrimas, com os momentos de fúria, de derrota, de tristeza ou alegria incontrolada. Casar-se com o toque da pele, o sussurrar nos ouvidos, o beijo carinhoso. Casar-se com a companhia, com as conversas bobas ou sérias demais.Casar-se e casar-se... Eis a grande diferença!!!
Amar ou se contentar?!  

21 de jul de 2011

Se eu morrer antes de você...

"Se eu morrer antes de você, faça-me um favor.
Chore o quanto quiser, mas não brigue com Deus por Ele haver me levado.
Se não quiser chorar, não chore.
Se não conseguir chorar, não se preocupe.
Se tiver vontade de rir, ria.
Se alguns amigos contarem algum fato a meu respeito, ouça e acrescente sua versão.
Se me elogiarem demais, corrija o exagero.
Se me criticarem demais, defenda-me.
Se me quiserem fazer um santo, só porque morri, mostre que eu tinha um pouco de santo, mas estava longe de ser o santo que me pintam.
Se me quiserem fazer um demônio, mostre que eu talvez tivesse um pouco de demônio, mas que a vida inteira eu tentei ser bom e amigo.
Se falarem mais de mim do que de Jesus Cristo, chame a atenção deles.
Se sentir saudade e quiser falar comigo, fale com Jesus e eu ouvirei. Espero estar com Ele o suficiente para continuar sendo útil a você, lá onde estiver.
E se tiver vontade de escrever alguma coisa sobre mim, diga apenas uma frase:

— "Foi meu amigo, acreditou em mim e me quis mais perto de Deus!"

Aí então, derrame uma lágrima.
Eu não estarei presente para enxugá-la, mas não faz mal.
Outros amigos farão isso no meu lugar.
E, vendo-me bem substituído, irei cuidar de minha nova tarefa no céu.
Mas, de vez em quando, dê uma espiadinha na direção de Deus. Você não me verá, mas eu ficaria muito feliz vendo você olhar para Ele.
E, quando chegar a sua vez de ir para o Pai, aí, sem nenhum véu a separar a gente, vamos viver, em Deus, a amizade que aqui nos preparou para Ele.
Você acredita nessas coisas?
Então ore para que nós dois vivamos como quem sabe que vai morrer um dia, e que morramos como quem soube viver direito.
Amizade só faz sentido se traz o céu para mais perto da gente, e se inaugura aqui mesmo o seu começo.
Mas, se eu morrer antes de você, acho que não vou estranhar o céu. . . Ser seu amigo já é um pedaço dele!"

Chico Xavier




P.S O Dia do Amigo foi ontem 20/07 e pela correria do dia acabou passando em branco, mas hoje, aqui estou para agradecer aos meus amigos pela companhia, pelos sorrisos, pelas lágrimas, pelos momenos únicos que cada pessoa pode proporcionar ao outro. Não se pode amar duas pessoas da mesma maneira, simplesmente não é possível. E aos que me emprestam sua amizade de forma única todos os dias, quero dizer obrigada. Bom demais tê-los em minha vida!!

15 de jul de 2011

E agora?

Algum palpite sobre como tomar as decisões corretas? Estou nessa de esperar que alguém, numa bela tarde ensolarada, bata a minha porta me apresentando um manual sobre como tomar a melhor das decisões entre tantas que me aguardam. Talvez assim eu não precise mais machucar as pessoas que amo, ou passar noites em claro desejando voltar ao passado para refazer tudo novamente, ou quem sabe ainda, poupe algumas lágrimas de decepção, de desespero, de fracasso...
Que tal se o próximo passo a ser dado viesse com flechas de indicações? Para frente, para a direita, ou não, não para a esquerda... Não pouparíamos tantas lembranças do passado, tendo em frente dias de felicidade certa?
E se ao invés de termos que cair apenas com a coragem e a esperança em relações que muitas vezes nos deixam feridos, desacreditados, não víssemos diante de nossos olhos um pisca - alerta de luzes coloridas nos indicando se estamos seguindo certo ou errado?
É, como seria bom!! Eu diria PER-FEI-TO. Mas infelizmente isso não é possível, e me perguntando hoje sobre como tomar a melhor das decisões, eu cheguei à conclusão de que nada melhor do que acreditar em si mesmo. Acreditar no que nosso coração diz, no que desejamos de verdade viver. Assim, se o arrependimento bater, ao menos não teremos muito do que se queixar.
E nos bastar, nos bastar sempre, e quando procurarmos estar com alguém, fazer isso ciente de que estamos juntos porque gostamos, porque queremos e nos sentimos bem, nunca por precisar.
As pessoas não se precisam, elas se completam. Não somos metades, somos pessoas inteiras, e cabe a cada um decidir se está disposto a se dividir, e se decidido pelo sim, que soframos as consequências, sem arrependimentos.
Não estamos neste mundo para satisfazer as expectativas dos outros, assim como ninguém está aqui para satisfazer as nossas.

1 de jul de 2011

Pequenos gigantes.

Um sorriso mudo, um olhar travesso apagado, uma alegria calada... Crianças não deviam morrer.
São anjos!! Fortaleza em dias de fraqueza, gargalhadas em dias de lágrimas, e a certeza de que o amanhã existirá e será maravilhoso... São nossas cores, em dias preto e branco.
As crianças não deviam ter doenças, não deviam sangrar, não deviam sentir dor... Elas não!!
Não deviam chorar, não deviam sentir-se abandonadas e nem desprezadas... Não elas!! Criaturinhas mágicas que encontram encanto nos mesmos desenhos, centenas de milhares de vezes, mesmo sabendo como acabarão... Contentam-se com uma folha, lápis de cor e a possibilidade de pôr ali seus maiores desejos... Uma boneca nova, um carrinho de controle remoto, um vestido de princesa, uma roupa de super-herói...
Choro pelas milhares de crianças que partem deste mundo a cada novo minuto, crianças que sofreram, que não entenderam porque lhe enfiavam uma agulha no braço se estavam sendo bons meninos ou meninas. Não entenderam porque tiveram que deixar suas vidas rotineiras para ficarem presas em um quarto, cheias de fio, de tubos pela garganta, de remédios cada dia piores.
Crianças que não souberam o que é um abraço, um sorriso de cumplicidade, um pedido atendido, uma cama quentinha, um brinquedo desejado, ou mesmo um sapato para calçarem seus pés sempre pisando chãos frios e duros.
Se soubéssemos que no fundo somos apenas seus super-heróis favoritos. Talvez começaríamos a agir como tal.


P.S. Para uma pequenina grande guerreira, Ana Luiza... Que Deus nos permita continuar com ela, mas se for de Sua vontade levá-la, que tenhamos sabedoria para seguir lutando como ela, enfrentando os problemas de frente, sem medo e sem receio do que nos espera adiante.

26 de jun de 2011

Da minha maneira...

Eu só queria poder viver esse amor!! Não tenho feito da melhor maneira, talvez nem esteja sendo merecedora de tal reciprocidade, mas juro que tenho tentado, da maneira mais sincera e bonita que posso.
O tempo!!! Tento me convencer nos momentos mais difíceis que o tempo será a solução para tudo, mas quando penso que esse mesmo tempo pode te levar para longe, para onde não poderei mais saber de você, de suas histórias, de seus problemas... então, desejo que as horas não passem, que os dias não acabem, que não chegue semana que vem, que o Natal deixe de existir e que o sol ou a lua deixem de ser amigáveis entre si e dividir o céu enquanto dias e noites, um após o outro, vão se concluindo.
Fico pensando se amar é mesmo isso... olhar nos olhos, segurar nas mãos, trocar beijos. Ou se amar é esse sentimento ingênuo, que te permite sorrir apenas pelo simples fato de saber que você divide o mesmo mundo com o ser amado, ou que te faz perder o ar, apenas por saber que o outro está feliz.
Não sei, mas vejo de verdade algo de mim em você. Uma frase, uma palavra perdida, um desejo escondido... Mas porquê não me diz nada?! Eu seria tão compreensível!! Aliás, é o que eu mais tenho sido desde que te conheci.
De repente não é pra ser, e se não for, entenderei. Dizem que não se deve confiar nos sentimentos quando estes simplesmente desaparecem. Será?!
Mas de tudo isso, tenho tirado coisas boas!!! Um desejo de continuar vivendo, de lutar pelos meus sonhos, de cuidar de mim, de ajudar os outros... Quem sabe assim, como um presente de Deus por bom comportamento, eu não receba você?! Estou tentando!! Como disse, talvez não da melhor maneira, mas da maneira mais sincera e bonita que posso.

19 de jun de 2011

Só por hoje...

Eu não quero promessas!! Apenas peço que me faça sentir, cansei de viver de imaginação... A imaginação só serve para os medrosos, para os desonesto com seus sentimentos. E hoje, hoje acordei desejando isso, um pouco mais de loucura, um pouco mais de insanidade, um pouco mais de palavras soltas e declarações impensáveis... E minha razão, esquecida no tempo.
Cansei, sabia?! Cansei de ver as pessoas dizerem que fariam tudo para viver um grande amor ou para realizar um sonho, ou para ter tudo o que desejam... Não, as pessoas não são assim, e embora não admitam, pensam milimetricamente no próximo passo a ser dado... Eu não, pelo menos não hoje... Hoje, quero viver uma loucura jamais imaginada!!!
Momentos sem lucidez, atitudes impensadas, emoções jogadas aos quatro ventos, e meu mundo tão certinho - e organizado que sempre faço questão de manter - revirado do avesso.
Te convido!! Você aguentaria viver minha verdade?! Pois venha!! Me faça suas declarações desejadas, sem tempo para uma refletição. Me desafie, sem me deixar chances de recusar. Me roube um beijo, sem que eu possa esquivar. Me tire do tédio, sem aceitar minhas desculpas para ficar.. Mas, venha!! Não me tenha só na sua imaginação... Eu partirei, você partirá. E nossos caminhos se separarão. Saberei o que sente por mim?! Saberá o que sinto por você?! Não!!!! Então, me faça abandonar essa linha da razão, já que você diz ser tanto emoção, e quem sabe, experimentar pela primeira vez um mundo novo, arriscado, mas que valerá a pena... Por você, por mim, por nós!

7 de jun de 2011

Ela...

Ela, é apenas uma menina... Uma menina que já viveu muito apesar de sua pouca idade (que as vezes ela acha muito). Enfrentou os maiores obstáculos para poder realizar seu primeiro grande sonho.. Ser independente!!
Ainda se lembra com alegria o dia de sua formatura. Olhos brilhando, coração aos pulos... Ali, bem ali estava a porta mágica para o seu novo mundo, assim como uma passagem para "Um País das Maravilhas" que agora não pertencia mais a Alice, e sim a ela.
A despedida na rodoviária e os olhos cheios de lágrimas ao subir no ônibus e ver acenando o seu velho pai, são cenas que ainda hoje lhe calam a voz e lhe fazem questionar aonde ficou aquela coragem sempre tão presente e fundamental. Sabia que não podia voltar atrás, sabia que mais um olhar para aqueles olhos, de uma das pessoas que mais ama na vida, podia lhe fazer desistir de seu sonho, e decidir ficar em seu porto seguro, o lugar onde nascera e vivera toda a vida. Abaixou a cabeça e pediu a Deus, seu único e fiel companheiro de viagem, que jamais deixasse de realizar um sonho por desejos sentimentais... Seguiu adiante!!
Hoje, seis anos após essa cena, essa menina já viveu muito mais que muitos de sua idade. É dona do seu mundo!! Apesar das adversidades que enfrentou, enfrenta e enfrentará, ela continua lutando, sonhando e acreditando... Talvez, acreditar seja o que ela mais saiba fazer. Estranho é que, pelo tudo que viveu e presenciou - os tombos, as feridas ainda não cicatrizadas por completo, as lágrimas que em dias inesperados ainda insistem em descer - ela ainda continua sorrindo, continua olhando o amor com os olhos do coração, continua vendo um brilho nos olhos das pessoas...
Não a culpo por isso! É apenas uma menina aprendendo a lidar com os conflitos do seu mundo interior e exterior ao mesmo tempo... Ela sofre, mas se questionada diria que viver é o melhor que poderia lhe acontecer. Hoje, ela encontrou o caminho... Emprestar o coração para os que sofrem!! Taí a fórmula mais simples para a felicidade.

P.S. Hoje, escrevendo este texto no meu caderno de rascunho (já falei sobre a existência dele né?) haha.. Eu fui deixando que o lápis corresse enquanto prestava atenção nas folhas das árvores que batiam na janela da biblioteca, meu refúgio na escola onde leciono... Quis me descrever e  me vendo como terceira pessoa foi o que cheguei mais perto. Afinal, por mais claro que sejamos, ainda assim todos somos um ponto de interrogação, não é mesmo?!

3 de jun de 2011

Um sonho... apenas um sonho!!

Ultimamente tenho sonhado tanto!! Não sou de sonhar muito, mas esses dias sim... Sonhos felizes, simples - com pessoas ou lugares que conheço - e na grande maioria bastante confusos e impossíveis de serem interpretados.
Noite passada sonhei que estava construindo um par de asas, não sabia direito o que eu tinha em minhas mãos... A princípio não conseguia visualizar com clareza, mas assim que uma voz (que não soube distinguir de onde vinha) me perguntou para que eu estava construindo aquelas asas, foi que - como num estalar de dedos - o que eu segurava nas mãos se mostrou mais nítido e pude perceber perfeitamente um par de asas, lindas, branquinhas e brilhantes... Bem ali na minha frente.
Não entendia o que estava acontecendo, não percebia nada a minha volta, apenas as asas, só elas me chamavam a atenção, e por mais que eu tentasse desviar os olhos, não conseguia, talvez por medo de tudo aquilo desaparecer da minha frente, talvez por ser algo novo para mim, ou talvez pelo simples fato de me transportar para o que, na realidade, eu sempre quis... VOAR!!
Minha atenção foi quebrada pela mesma voz que agora me perguntava se eu não iria experimentá-las... Eu recusei dizendo que não podia, não saberia usá-las. A mesma voz, todavia, me questionou então dizendo que eu não podia saber de algo que nunca tinha vivido... Assim, com o maior sorriso do mundo, lá fui eu erguer as asas para colocá-las em mim, e, quando finalmente consegui levantá-las, adivinhem... Eu acordei!!!
É, meu sonho de voar não foi realizado, e acabou que só serviu para me deixar intrigada com toda essa história. Cheguei a conclusão que esse sonho pudesse ter algo a ver com o livro de Paulo Coelho que terminei de ler "As Valkírias", nele o autor sai em busca de encontrar seu anjo da guarda. Pode ser que eu tenha ligado anjos e asas, asas e anjos... Normal né?! Bom, acho eu!!
De alguma forma toda essa história de asas acabou me relembrando a famosa história da Mitologia Grega, "Dédalo e Ícaro" (uma das minhas favoritas na Mitologia)... Bom, em resumo, Dédalo e seu filho Ícaro estavam presos no labirinto do Minotauro, Dédalo era um grande criador e utilizando cera do mel de abelhas e penas de gaivotas construi dois pares de asas. Dessa forma conseguiram fugir. Antes, porém, alertou ao filho que não voasse muito perto do sol, para que não derretesse a cera das asas, e nem muito perto do mar, pois esse poderia deixar as asas mais pesadas. No entanto Ícaro não ouviu os conselhos do pai e querendo realizar o sonho de voar próximo ao sol, acabou despencando, caindo ao mar e morrendo, enquanto seu pai, aos prantos, voava para a costa.
Eu sempre quis ter a coragem de Ícaro, correr riscos em busca daquilo que desejei ou ainda desejo. Seria um absurdo e uma irresponsabilidade eu tento me convencer todos os dias... Mas com toda a certeza, uma grande aventura que valeria muito muito a pena mesmo!! E no final das contas, não vamos todos morrer?! Em queda ou soterrados, um dia não terá como escapar.
Ainda me pego pensando no prazer que teria vivido Ícaro antes que a cera derretesse, que imagens teria visto daquela altura, que sensações teriam lhe ocorrido enquanto aquela imensidão de universo estava diante de seus olhos, que alegrias lhe transcorreu a alma enquanto voava e voava mais alto... E chego a conclusão de que a verdadeira felicidade estava ali, Ícaro talvez tenha encontrado a verdadeira explicação para a vida, arriscar tudo pelo que, de fato, se deseja.
E você, teria coragem de enfrentar a morte se fosse para fazer o que sempre quis?! Diria que valeu a pena a coragem de Ícaro em fazer aquilo que sonhava??!!!!! É, como eu gostaria de ter colocado aquelas asas, como eu gostaria de sair voando até o lugar mais alto que eu pudesse, ainda que fosse num sonho, ainda que fosse apenas por alguns instantes... Pena que eu acordei!!

27 de mai de 2011

Quando foi que me desequilibrei?

"Que coisas são essas que me dizes sem dizer, escondidas atrás do que realmente quer dizer? Tenho me confundido na tentativa de te decifrar, todos os dias. Mas confuso, perdido, sozinho, minha única certeza é que cada vez aumenta ainda mais a minha necessidade de ti. Torna-se desesperada, urgente. Eu já não sei o que faço. Não sinto nenhuma outra alegria além de ti. Como pude cair assim nesse fundo de poço? Quando foi que me desequilibrei? Não quero me afogar. Quero beber tua água. Não te negues, minha sede é clara."

Caio Fernando de Abreu


P.S.  Caio Fernando tem o dom de me transportar para além da leitura, além das palavras... Por isso talvez tenha o elegido como "meu escritor favorito secreto", ele sabe me descrever muito bem, e isso é um perigo.. haha.. Hoje, todavia, quebro as regras e posto este trecho de um dos textos que mais gosto dele... Acordei com essa pergunta na cabeça, ou quem sabe, ela já estivesse ali quando eu fui me deitar na noite anterior... "Quando foi que me desequilibrei?" É, não sei, de verdade não sei... Não quero me afogar!!!! Será isso possível?? Será possível fugir de algo que não escolhemos, mas que em realidade nos escolheu?! Também não sei, não sei... Talvez eu não esteja mesmo querendo fugir disso, talvez tudo o que eu mais queira, de fato, seja continuar neste fundo de poço, provar desta água... Quem sabe, quem sabe, quem saberá decifrar os segredos do coração?! 

22 de mai de 2011

Brida

Um texto anônimo diz que cada um de nós, em sua existência, pode ter duas atitudes: construir ou plantar. Os construtores podem demorar anos em suas tarefas, mas um dia terminam e acabam por ficar limitados às suas próprias paredes. A vida perde sentido quando a construção acaba.
Já os que plantam podem sofrer tempestades e poucas vezes descansam. Mas o jardim jamais cessa de crescer e, ainda que exija a atenção do jardineiro, também permite que a vida seja uma grande aventura. Na história de cada planta está o crescimento de toda a terra.
E assim aprendi lendo o livro "Brida" de Paulo Coelho...  Alguns, se satisfazem em ser construtores e aceitam ver seus sonhos paralizados quando terminam sua construção, quando conseguem um emprego mais ou menos, um amor mais ou menos, uma vida mais ou menos, param!! E assim a vida se resume em seguir seu ciclo... Sem expectativas, sem momentos extraordinários.
No entanto, há os que optam plantar, e estes, jamais conseguem viver um momento de paz porque estão eternamente em busca do melhor, mesmo que o melhor muitas vezes ultrapasse os limites da razão, mesmo que esse melhor não consiga em diversas ocasiões responder o que nossas mentes de seres humanos racionais, tanto deseja entender.
Brida, escolheu este caminho, plantar!! E mesmo que sua escolha tenha lhe trazido medos e dúvidas, ela jamais desistiu de buscar o melhor, aquilo em que de fato acreditava. De recompensa viveu uma história excepcional, linda, repleta de magia e amor verdadeiro, algo que muitos buscam, mas somente os corajosos vivenciam.
Poucos são privilegiados com momentos como os que Brida vivenciou, e menos ainda são capazes de trilhar esse caminho tão misterioso e mágico, que raramente se mostra aos seres que não conseguem ver com o coração.
Confesso que muitas dúvidas ainda pairam sobre mim em relação a este mundo, o mundo da magia!! Porém,  de uma coisa eu tenho certeza, ele existe, é verdadeiro!! E mesmo que eu jamais vivencie momentos como os que li, tenho coragem de dizer hoje para quem quiser ouvir que ele acontece, cria, se movimenta todos os dias em torno de nós... Todavia, explicá-lo é algo impossível, assim como explicar uma emoção. Apenas os que são capazes de um mergulho numa noite escura, são capazes de vivenciá-lo, ou seja, um verdadeiro ato de fé.
E então, o que você deseja: Construir ou plantar? Também deixo aqui esta pergunta para mim, com a única certeza de que meu desejo é viver o melhor, presenciar os momentos mais malucos, mais inimagináveis, beber das taças mais desconhecidas que a vida me apresentar, pois só assim, meu coração diz que encontrarei a felicidade, vivenciarei o amor mais puro e verdadeiro, e presenciarei os momentos mais perfeitos que Deus guardou para os que têm coragem de enfrentar seus medos.
 
P.S. Muitas coisas ficaram bastante confusas em minha cabeça durante a leitura deste livro, mas uma grande maioria eu consegui compreender por causa de uma pessoa bastante especial, que me fez ver ainda que relutante, um pouco desse lado mágico e misterioso que cruzam nossas vidas todos os dias sem nem desconfiarmos. Poderia ter lido este livro a algum tempo atrás, como de fato tive oportunidades, e com certeza não teria entendido metade do que entendi se o tivesse feito, por isso, creio que Deus usa certas pessoas para nos preparar para determinadas aprendizagens. A você, que contribuiu muito para que eu aceitasse melhor os temas que trata o livro, quero dizer obrigada, obrigada por compartilhar comigo seus segredos, por confiar em mim, por me deixar ser parte de sua vida.. As pessoas não se encontram por acaso. Amo você!!

19 de mai de 2011

Eu te amo...

O que seria amar? E como demonstrar?
Amar, talvez seja se entregar de corpo e alma e não exigir retorno. Se eu te amo só porque você diz que me ama, então isso não é amor...
Bom, sei bem pouco o verdadeiro significado de amar, mas tenho a convicta certeza de que o primeiro passo é querer o melhor para a pessoa que amamos, ainda que não sejamos parte desse melhor.
No meu coração, talvez de menina boba demais, amar é não aceitar a infelicidade do outro, é querer que seus sonhos se realizem, que seu mundo seja o mais alegre de todos, e que sua vida se multiplique em milhares de sorrisos, ainda que nenhum seja para você.

17 de mai de 2011

Clarice manda beijos!!

"Já escondi um AMOR com medo de perdê-lo, já perdi um AMOR por escondê-lo.
Já segurei nas mãos de alguém por medo, já tive tanto medo, a ponto de nem sentir minhas mãos.
Já expulsei pessoas que amava de minha vida, já me arrependi por isso.
Já passei noites chorando até pegar no sono, já fui dormir tão feliz, ao ponto de nem conseguir fechar os olhos.
Já acreditei em amores perfeitos, já descobri que eles não existem.
Já amei pessoas que me decepcionaram, já decepcionei pessoas que me amaram.
Já passei horas na frente do espelho tentando descobrir quem sou, já tive tanta certeza de mim, ao ponto de querer sumir.
Já menti e me arrependi depois, já falei a verdade e também me arrependi.
Já fingi não dar importância às pessoas que amava, para mais tarde chorar quieta em meu canto.
Já sorri chorando lágrimas de tristeza, já chorei de tanto rir.
Já acreditei em pessoas que não valiam a pena, já deixei de acreditar nas que realmente valiam.
Já tive crises de riso quando não podia.
Já quebrei pratos, copos e vasos, de raiva.
Já senti muita falta de alguém, mas nunca lhe disse.
Já gritei quando deveria calar, já calei quando deveria gritar.
Muitas vezes deixei de falar o que penso para agradar uns, outras vezes falei o que não pensava para magoar outros.
Já fingi ser o que não sou para agradar uns, já fingi ser o que não sou para desagradar outros.
Já contei piadas e mais piadas sem graça, apenas para ver um amigo feliz.
Já inventei histórias com final feliz para dar esperança a quem precisava.
Já sonhei demais, ao ponto de confundir com a realidade... Já tive medo do escuro, hoje no escuro "me acho, me agacho, fico ali".
Já cai inúmeras vezes achando que não iria me reerguer, já me reergui inúmeras vezes achando que não cairia mais.
Já liguei para quem não queria apenas para não ligar para quem realmente queria.
Já corri atrás de um carro, por ele levar embora, quem eu amava.
Já chamei pela mamãe no meio da noite fugindo de um pesadelo. Mas ela não apareceu e foi um pesadelo maior ainda.
Já chamei pessoas próximas de "amigo" e descobri que não eram... Algumas pessoas nunca precisei chamar de nada e sempre foram e serão especiais para mim.
Não me dêem fórmulas certas, porque eu não espero acertar sempre.
Não me mostre o que esperam de mim, porque vou seguir meu coração!!!
Não me façam ser o que não sou, não me convidem a ser igual, porque sinceramente sou diferente!
Não sei amar pela metade, não sei viver de mentiras, não sei voar com os pés no chão.
Sou sempre eu mesma, mas com certeza não serei a mesma pra SEMPRE!
Gosto dos venenos mais lentos, das bebidas mais amargas, das drogas mais poderosas, das idéias mais insanas, dos pensamentos mais complexos, dos sentimentos mais fortes.
Tenho um apetite voraz e os delírios mais loucos.

Você pode até me empurrar de um penhasco que eu vou dizer:

- E daí? EU ADORO VOAR!"


Clarice Lispector


P.S. Gosto tanto de Clarice Lispector, amo seu modo de descrever o mundo!! Esse, é um dos textos mais lindos que já li. Enquanto leio essas linhas, meu pensamento vaga pelas lembranças de momentos como estes que são inevitáveis em nossa vida, e que estão aí, imortalizados e descritos de forma tão perfeita por ela.

13 de mai de 2011

Você me Ouviria?!

Queria muito te falar de tudo o que acontece aqui dentro, mas não consigo. Me sinto tão inútil em relação a alguns sentimentos, sinto vergonha, receio, medo.. o mesmo medo que me tira o sono e me faz querer não pensar mais em você.
Ensaiei tantas vezes hoje.. fiz tantos rodeios com minhas palavras perdidas, que de tão perdidas, acabei deletando tudo e preferi me calar outra vez.
Tenho a pergunta!! mas não a coragem de fazê-la, nem de ouví-la.
No fundo, eu só gostaria que você conseguisse notar em mim esse amor ingênuo e ao mesmo tempo avassalador que invadiu meu coração sem pedir licença.
As vezes, juro que consigo ver um vestígio desse amor em você, mas minha razão, não.. ela não me deixaria ser tão feliz assim.
Numa dessas esquinas em que o destino se encarrega de nos cruzar, você apareceu, invadiu meu mundo, me fez crer em coisas que jamais acreditaria.
Agora eu só quero que você saiba do tamanho da sua importância pra mim... de como você tem o poder de traçar os meus sorrisos, de como você se tornou especial, de como me odeio por não conseguir dizer o quanto te amo de verdade.
É.. tenho muito que te falar, mas guardo tudo aqui, nesse pedaço chamado saudade... Saudade dos sentimentos que não acontecem, dos dias que não passamos juntos, dos abraços que não existem, dos sorrisos que não compartilhamos.

8 de mai de 2011

Certezas

Não quero alguém que morra de amor por mim…
Só preciso de alguém que viva por mim, que queira estar junto de mim, me abraçando.
Não exijo que esse alguém me ame como eu o amo, quero apenas que me ame, não me importando com que intensidade.
Não tenho a pretensão de que todas as pessoas que gosto, gostem de mim…
Nem que eu faça a falta que elas me fazem, o importante pra mim é saber que eu, em algum momento, fui insubstituível…
E que esse momento será inesquecível..
Só quero que meu sentimento seja valorizado.
Quero sempre poder ter um sorriso estampado em meu rosto, mesmo quando a situação não for muito alegre…
E que esse meu sorriso consiga transmitir paz para os que estiverem ao meu redor.
Quero poder fechar meus olhos e imaginar alguém, e poder ter a absoluta certeza de que esse alguém também pensa em mim quando fecha os olhos, que faço falta quando não estou por perto.
Queria ter a certeza de que apesar de minhas renúncias e loucuras, alguém me valoriza pelo que sou, não pelo que tenho…
Que me veja como um ser humano completo, que abusa demais dos bons sentimentos que a vida lhe proporciona, que dê valor ao que realmente importa, que é meu sentimento… e não brinque com ele.
E que esse alguém me peça para que eu nunca mude, para que eu nunca cresça, para que eu seja sempre eu mesmo.
Não quero brigar com o mundo, mas se um dia isso acontecer, quero ter forças suficientes para mostrar a ele que o amor existe…
Que ele é superior ao ódio e ao rancor, e que não existe vitória sem humildade e paz.
Quero poder acreditar que mesmo se hoje eu fracassar, amanhã será outro dia, e se eu não desistir dos meus sonhos e propósitos, talvez obterei êxito e serei plenamente feliz.
Que eu nunca deixe minha esperança ser abalada por palavras pessimistas…
Que a esperança nunca me pareça um “não” que a gente teima em maquiá-lo de verde e entendê-lo como “sim”.
Quero poder ter a liberdade de dizer o que sinto a uma pessoa, de poder dizer a alguém o quanto ele é especial e importante pra mim, sem ter de me preocupar com terceiros…
Sem correr o risco de ferir uma ou mais pessoas com esse sentimento.
Quero, um dia, poder dizer às pessoas que nada foi em vão…
Que o amor existe, que vale a pena se doar às amizades e às pessoas, que a vida é bela sim, e que eu sempre dei o melhor de mim…
E que valeu a pena!!

Mário Quintana

P.S. No Dia das Mães eu gostaria de deixar registrado este texto do poeta Mário Quintana... Minha mãe é uma mulher expetacular, Deus foi bondoso comigo ao me fazê-la sua filha, mas sei também que muitas pessoas não têm a mãe que gostariam, ou então, já não podem mais estar em sua presença como desejam.. No entanto, há várias outras pessoas que estão conosco e que nos brindam todos os dias com seu amor... Que possamos aproveitar essas pessoas, que possamos viver de tal forma que todas essas palavras escritas por este poeta, sejam um dia palavras declaradas por nós.

3 de mai de 2011

Segredo...

O vento está frio, e com uma força bastante razoável ele balança os galhos das imensas árvores que, cobertas pela luz do sol, refletem uma luz multicolorida por todo o jardim que posso avistar de onde estou sentada, aguardando o início do meu curso.
Não precisaria de muito para que meus pensamentos me guiassem até você, naturalmente isso já aconteceria. Confesso que até me acostumei a ter sua imagem assim, diante dos meus olhos.
Todos os dias me pergunto se um dia terei coragem de dizer o quanto penso em você, e de como você faz parte da minha vida, mesmo sem nem imaginar.
Sou sempre tão preparada, com uma resposta pronta para todos os momentos, mas em se tratando de você... não sei o que dizer!!
Será que você pensa em mim também? Será que me tem em seus planos e sente o mesmo que eu, mas esconde, como tenho feito??!! Ahhhh os sentimentos ocultos!!! Quando saber quem realmente nos ama e não diz, e quem não ama e finge??
Prefiro manter esse sentimento em segredo... Nos meus pensamentos não pode me ferir e nem me impedir que te ame... Um dia, quem sabe, algum gesto seu me diga que decisão tomar. Estarei aguardando!!

P.S. Hoje enquanto esperava o início do meu curso (bem aborrecida por sinal, pois me tomaria toda a tarde) retirei da minha bolsa meu caderno de anotações e escrevi este texto. De fato, naquele momento eu pensava em alguém, mas como dizer o que o coração ainda tem medo de revelar??!!

30 de abr de 2011

Resenha do Filme "Rio"

Aqui estou para comentar um pouquinho com vocês sobre minha experiência (se é que assim podemos chamar) de telespectadora de mais um filme que retrata nosso país, "Rio" é uma animação dirigida por Carlos Saldanha (brasileiro) e escrita por Don Rhymer.
Quando vi pela primeira vez o trailer do filme fiquei super encantada e satisfeita por concluir que, por fim, alguém em sã consciência havia criado algo realmente descente sobre o Brasil.
Mal sabia eu, que essa minha satisfação seria eliminada logo depois do início do filme, que começa bem animado com cenas da cidade do Rio de Janeiro, e um bando de aves sambando (até compreensível, sabendo que se trata de uma animação), no entanto, a alegria dessas aves são logo interrompidas por caçadores que traficam animais.
A partir daí uma arara azul, ainda bebê, é levada para um país distante e gelado, e acaba sendo adotada por uma garotinha. Se passam 15 anos, e a arara juntamente com sua dona são convidadas para uma viagem ao Brasil com o intuito de salvar a espécie de araras azuis que só possui dois exemplares no mundo todo.
Convite aceito, e a viagem para o país gigante da América do Sul, é realizada.
Até aí meu senso crítico ainda estava só na observação, mas no momento em que passam os novos turistas (arara e sua dona) no Brasil, de frente com as praias da cidade maravilhosa, observando um bloco de pessoas sambando e entre elas uma mulher semi-nú, o que era observação passou a ser decepção.
Nada contra, se escolheram passar a história do filme bem na época do carnaval, mas por se tratar de uma animação infantil, bem que poderiam ter deixado alguns detalhes (como este da mulher semi-nú) de fora.
Depois disso as cenas que se seguem são: pessoas na praia, ou sambando, ou vendo futebol, ou roubando.. E pasmem, jogo da seleção em pleno o carnaval, algo que até então eu nunca tinha visto na vida. E enquanto o carnaval acontece nas ruas, pessoas em frente a televisão são capazes de matar um se forem interrompidos enquanto assistem o Brasil jogando.. Até parece!!
E então, chega a parte de apresentar ao mundo as favelas da cidade, e dizer a todos que as crianças negras (achei um preconceito muito grande) representadas por Fernando, um garotinho sem família; não são nada mais e nada menos que ladrõezinhos, que roubam o que lhes forem pedido por uns trocadinhos para sobreviverem.
E as florestas?!! sim, as florestas estão a todos os lados no filme, como se fosse tão acessível uma floresta em meio a cidade do Rio de Janeiro.. E os pássaros?! Bom, fazendo algo muito natural.. correndo pelo calçadão da cidade quase sendo atropelados por ciclistas... É, se a intenção era fazer com que os estrangeiros acreditassem que há pássaros correndo pelas praias, tenho certeza de que conseguiram, pena é descobrirem depois que isso não passa de uma mentira.
Hmmm e tem uma parte de funk também, mas aí já é muita coisa pra eu escrever, melhor deixar pra lá.
Concluindo.. Figurinha repetida!!! temas que todos já estão fartos de ver ou ouvir.
Claro, em se tratando de Brasil, esses são os temas que primeiro vem em mente, mas será que já não está na hora de mudarmos isso, mostrarmos as pessoas de fora que temos muito mais coisas interessantes para apresentar?!! Dizem, que para os que não conhecem algo ainda, o que lhes mostramos é o que lhes serão acreditados. E isso é muito sério!!!!! Somos um país com muito mais qualidade.
No mais, é assistir e chegar a sua própria conclusão, e como nada na vida é 100% bom ou 100% ruim, temos a oportunidade de nos deliciar com as imagens do filme: o cristo redentor, o pão de açucar e os bondinhos, a praia... Também temos a nosso favor a trilha sonora, com músicas brasileiras bem conhecidas, enfim, há os momentos em que podemos até nos sentir orgulhosos por ver este filme, raros momentos, mas eles estão lá, só não olharem com olhos tão críticos quanto os meus.. haha!!!!   

18 de abr de 2011

Hoje..

Talvez o dia de nosso aniversário seja o dia em que vivemos um verdadeiro conflito interno.. Felicidade, por termos chegado até aqui e estarmos em condições de seguir adiante.. Tristeza, por ver o tempo passar e ter a certeza de que não voltará mais.
Hoje, eu não sou mais aquela garotinha que esperava ansiosa por seus aniversários, que um dia em gritos disse para seu pai "EU NÃO VEJO A HORA DE FAZER LOGO 18 ANOS E IR EMBORA DESSA CASA!!" Ahhh como pude me enganar tanto?! Como pude desejar que os melhores anos da minha vida passassem tão rápidos?!!
Muitos sonhos se desintegraram no tempo... ou quem sabe, não fui eu mesma quem mudou a direção deles... Dizem que as pessoas mudam.
Quantas conquistas!!!!! É tão bom vencer quando se está só numa luta!! Se há algo de que eu tenha orgulho, é de ser persistente, sempre, todo o tempo... Se caio, levanto!!
Aprendi tantas coisas!! E hoje sei que a decisão de ser feliz ou não, está dentro de cada um de nós.

Ps. A você que dedicou alguns minutinhos do seu dia para mim, quero dizer que sou uma pessoa muito feliz por tê-los ao meu lado, e se hoje a luta diária se faz mais leve, isso se deve a vocês, meus verdadeiros amigos. Muito obrigada por terem se lembrado do meu aniversário!!

13 de abr de 2011

Pra você..

Serei a culpada ou o culpado será você?!
Sempre acreditei que o amor fosse um contrato entre duas almas, mas te amar me mostrou um caminho bem diferente, um caminho doloroso!!!! Lágrimas, solidão, desesperança... Como pôde me machucar tanto?!
Me sinto culpada por não acreditar mais em suas palavras. Meu coração diz que a promessa que fizemos de jamais mentir ou duvidar um do outro, ainda está em você... Mas minha razão diz que elas são apenas mais uma grande armadilha. E assim, luto entre a emoção e a razão... Não te culpo por isso!! Talvez eu ainda seja uma menina acreditando em príncipes encantados.
Você não pode ser tão diferente daquele que um dia me olhou nos olhos e disse que me amaria por toda a vida, que com um sorriso nos lábios, disse que jamais voltaríamos a ser um.
Por favor, não me deixe continuar fazendo planos para nós, quando em cada encontro nosso, você vem me beijar... Diga, olhando nos meus olhos, que você não me ama mais, que já não me quer por perto, que já não me deseja como antes... Por favor, por favor, não deixe que as lágrimas voltem a correr por minha face em cada despedida sua.
Sempre acreditei que o amor e a verdade existiam. Hoje, meu coração e minha razão dizem que são um sonho, um sonho que nunca fará parte da minha realidade!!

6 de abr de 2011

As Três Lições de Hoje!!

                   Hoje foi um DAQUELES dias!! Acordei 6:30 a.m., me arrumei em menos de meia hora porque já estava atrasada para o trabalho, não tomei nada nada de café da manhã e ainda saí sem nenhum agasalho, algo inaceitável, já que com essa nova estação é sempre certeza de frio, pelo menos na parte da manhã ou à noite, maaaaas, em se tratando da esquecida que sou, normal isso, super normal... =s
                 Enfim, cheguei na escola apressada. Muitos professores haviam faltado e logo que me viram já vieram me pedir para ficar em duas salas de aula ao mesmo tempo. Ao que se refere aos meus alunos, eu já devia saber que isso não seria uma boa ideia, mas como ainda confio na mudança das pessoas, lá fui eu. E aí temos a primeira lição do dia... As pessoas não mudam a curto prazo!!! E os meus queridos "anjinhos" só não me deixaram mais louca porque eu ainda consigo deixá-los antes de mim... haha
                 E assim foi toda a minha manhã, correndo de uma sala pra outra ensinando matemática, mediando conflitos, escutando problemas, recebendo balas e beijos babados... E quando eu penso que posso sentar e descansar um pouco, lá vem minha turma de recuperação, todos "naquele ânimo" para a aula tão temida e dolorosa - Reforço de Matemática (se há castigo numa escola, esse castigo se refere a participar de aulas de recuperação). E quem é a carrasca??! EU!!! ploft!!
                 Estava exausta mas ainda não podia ir pra casa!! =( Tinhamos uma reunião com a nova coordenadora para sua apresentação e para a apresentação das datas de finalização de bimestre e entregas de notas.
                 Quando eu já não estava mais me aguentando de tanta canseira, fome e sono, chega as minhas mãos um papel, a pauta da reunião. Após a distribuição para todos os demais professores, alguém que a essas alturas já nem consigo raciocinar quem é, pergunta se pode começar a ler, estávamos todos cansados, mas ainda assim, havia alguém gentil para ajudar, taí a segunda lição do dia... Nossos problemas não são motivos para que sejamos mal-humorados e nem arrogantes com as pessoas a nossa volta.
                 Pois bem, a voz da coordenadora, sorridente por alguém poder ajudá-la, responde que sim e a leitura começa.
                 E é aí que, após algumas palavras lidas eu percebo que o que lêem não são artigos, leis, ou blá blá blá de coisas chatas de reunião. MAS SIM, um texto do escritor Augusto Cury, alguém que tenho passado a admirar, devido sua inteligência em nos transmitir ensinamentos com palavras tão lindas e profundas.
                A coordenadora, sabiamente, havia decidido abrir a reunião com essas palavras para reflexão. Na mesma hora em que escutava essas palavras lidas pela professora de português, Maria de Fátima (agora sim sabia perfeitamente quem estava lendo, já que a mensagem havia me  chamado a atenção) eu decidi que iria postá-la aqui.
                Então, foi aí que surgiu a terceira lição do dia...

                 "Um dia uma criança chegou diante de um pensador e perguntou-lhe: "Que tamanho tem o universo?" Acariciando a cabeça da criança, o pensador olhou para o infinito e respondeu: "O universo tem o tamanho do seu mundo."
                Perturbada, a criança novamente indagou: "Que tamanho tem meu mundo?" O pensador respondeu: "Tem o tamanho dos seus sonhos. Se seus sonhos são pequenos, sua visão será pequena, suas metas serão limitadas, seus alvos serão diminutos, sua estrada será estreita, sua capacidade de suportar as tormentas será frágil. Os sonhos regam a existência com sentido. Se seus sonhos são frágeis, sua comida não terá sabor, suas primaveras não terão flores, suas manhãs não terão orvalho, sua emoção não terá romances. A presença dos sonhos transforma os miseráveis em reis, faz dos idosos, jovens, e a ausência deles transforma milionários em mendigos e faz dos jovens idosos. Os sonhos trazem saúde para a emoção, equipam o frágil para ser autor da sua história, fazem os tímidos terem golpes de ousadia e os derrotados serem construtores de oportunidades. Sonhe!"

                     E é isso, aqui estou eu, recem chegada em casa e louca para tomar um banho merecido; escrevendo pra vocês. E o meu desejo para o seu amanhã é: Jamais desista de si mesmo, jamais desista das pessoas que você ama, jamais desista de ser feliz, jamais desista de seus sonhos!!
                    Ah, e quanto a mim, confesso que também estou tentando aplicar isso ao meu amanhã!!!! Sei que tenho muito que aprender, e estou disposta a aprender sempre, em todos os dias que Deus permitir. =)

29 de mar de 2011

Saudades...

Abril está chegando e como todos os anos desde 2004 este é um período em que meu coração fica apertadinho de tantas saudades de uma pessoa muito especial para mim. Não que em todos os outros dias e meses do ano essa saudade desapareça, muito pelo contrário, ela sempre está comigo. No entanto, em este mês, essa pessoa estaria completando 27 anos de vida se estivesse conosco.
Flávia, esse era o seu nome. Minha amiga, minha melhor amiga... Estudamos juntas desde nosso primeiro dia em uma escola, sentávamos próximas na sala de aula, e fazíamos trabalhos e atividades juntas, aproveitávamos, de fato, os milhares de recreios que vivenciamos, ela ia em casa e passávamos horas rindo, conversando sobre todo tipo de assunto: nossos sonhos, os meninos mais bonitos da sala, músicas da época...
Ela era tão linda, tão calma, tão inteligente ... tinha planos para o futuro e sonhos "pés no chão", bem ao contrário de mim, sempre tão apavorada, tão cheia de palpites, sonhos exagerados, e planos só para o hoje e amanhã, como até hoje, diga se de passagem.
Ela sempre me ajudava com as lições de casa e as atividades da aula, e quando eu resmungava das aulas de química e física, ela dizia: "Dani, você não sabe o quanto é inteligente, só tem preguiça de estudar."
Como eu queria que ela estivesse no dia da minha formatura, um ano depois de sua morte.
No momento em que eu recebi o prêmio de melhor aluna do curso de matemática, bem ali na minha mente, estava as palavras dela destacadas "Você é inteligente, só tem preguiça de estudar." Isso repetia na minha cabeça enquanto eu subia as escadas para pegar o prêmio.
Como eu queria tê-la ali, como eu queria que ela visse que ela acertou quando, em um dia, me disse convícta: "No dia de sua formatura, estarei lá para ver você receber um prêmio por ser a melhor." E eu, sempre zuando dizia "Ahhhh, você quer ir lá só para ver eu receber o prêmio de PIOR aluna né?!" e rimos juntas.
Ela estava estudando em uma outra cidade, e já não nos viamos com tanta frequência, mas sempre que ela estava na cidade, nos encontrávamos e passávamos momentos de nostalgia e de alegria recordando nossa infância, ou, checando se nossos planos estavam dando certo, ou melhor, os dela... Eram momentos únicos!!
O último encontro nosso ocorreu, por incrível que pareça, no velório de um amigo da nossa época de escola, o Michel, havia falecido em um acidente de carro. Com a tristeza do momento quase não conseguimos nos falar, dei meu último abraço nela e fui pra casa, sem saber que aquela era nossa despedida.
No entanto, antes da notícia de sua morte, eu a vi pela última vez em um dos dias mais infelizes da minha vida... Fui ao supermercado para minha mãe e quando estava saindo de lá, bem ao longe no final da rua eu a avistei, ela estava lá, conversando com uma pessoa, mas eu estava com tanta pressa que pensei "Ah! outro dia eu falo com ela."
Puro engano, em menos de uma semana recebi a notícia de que ela havia falecido, ela já não estava entre nós. Como me odiei por não ter ído lá falar com ela, dar um abraço e dizer o quanto ela era uma pessoa especial. Me odiei com toda a força, e acredito que ainda hoje me odeio por isso.
Fui ao seu velório, e não podia me conformar em ver ali minha amiga, alguém com quem sentei horas pra conversar, alguém que quando eu estava muito brava e brigava, vinha me pedir desculpas e só depois, bem depois, perguntava o que tinha feito de ruim, afinal.
Se existem anjos entre nós, Flávia, com certeza era um deles. Doce, gentil, linda, inteligente, amiga, otimista...
Lembro dela me dizendo "Dani, não adianta você brigar comigo, nossa amizade não terá um ponto final nunca." É, hoje eu tenho certeza que nossa amizade é para além da morte, e que de fato, não terá nunca um ponto final.
Aprendi com essa perda que não existe "depois", "amanhã" ou "um dia" para as pessoas que amamos. Quando menos esperamos, elas partem, e ficamos frente a uma história que já não cabe mais um final diferente.
Hoje, digo o que penso para as pessoas que me rodeiam.. "Eu te amo!", "Me perdôe?!", "Você é especial!", "Como é bom ter você na minha vida!"... Não quero ter novamente este mesmo sentimento que tive quando me vi diante de uma história finalizada e sem oportunidades para acrescentar uma palavra que fosse.
Para você Flávia, o que tenho a dizer é que um dia estaremos juntas, e aquele abraço que estou te devendo, será o melhor de todos.

6 de fev de 2011

Meu Mundo

Há as pessoas que não sabem ser solidão, há as que não conseguem ser multidão, e há as que escolheram para si o seu próprio mundo...
Eu sou assim, o meu próprio mundo... às vezes sou companhia, em outras solidão; às vezes sou amor, em outras decepção; às vezes sou palavras soltas, em outras silêncio profundo.
Dizem que as pessoas, mesmo sem saber, constroem seu "mundo adulto" na infância. Talvez seja isso, minha infância de menina sozinha e poucas palavras, tenha me dado esse modo de ser... "Não sou para todos".
Gosto demais do meu mundinho. Nele tenho tudo que preciso... sonhos, amores, céus de um azul irradiante, palavras necessárias, cores preferidas, fundo musical selecionado, sorrisos e lágrimas de momentos inesquecíveis.
Também guardo nele, momentos tristes, como perdas de pessoas que tanto amava e ainda amo, traição de quem jamais esperava, mentiras que jurava serem verdades, sonhos frustrados, noites de dor que pareciam intermináveis. Esses momentos, servem como aprendizagem. Pois, quando os momentos bons chegam até mim, sei aproveitá-los muito melhor.
No entanto, no meu mundo não cabe muita gente, mas as que ali se encontram, não estão por acaso. São necessárias e muito importantes para mim.
Se você já faz parte do meu mundinho, o que posso dizer?? Continuemos a dividir nossos sonhos e momentos de fartos sorrisos e lágrimas incontroláveis, afinal de contas, é pra isso que se fazem os amigos não é?!!
E se você ainda não faz parte deste mundo, me conquiste, quem sabe um dia não abro a porta dele para você. ;)


(Certa vez, li algo do escritor Caio F. Abreu, eu já estava escrevendo este texto e suas palavras me ajudaram a concluí-lo e criar coragem de postar aqui.. ;))

24 de jan de 2011

Crônica do Amor

Ninguém ama outra pessoa pelas qualidades que ela tem, caso contrário os honestos, simpáticos e não fumantes teriam uma fila de pretendentes batendo a porta.
O amor não é chegado a fazer contas, não obedece à razão. O verdadeiro amor acontece por empatia, por magnetismo, por conjunção estelar.
Ninguém ama outra pessoa porque ela é educada, veste-se bem e é fã do Caetano. Isso são só referenciais.
Ama-se pelo cheiro, pelo mistério, pela paz que o outro lhe dá, ou pelo tormento que provoca.
Ama-se pelo tom de voz, pela maneira que os olhos piscam, pela fragilidade que se revela quando menos se espera.
Você ama aquela petulante. Você escreveu dúzias de cartas que ela não respondeu, você deu flores que ela deixou a seco.
Você gosta de rock e ela de chorinho, você gosta de praia e ela tem alergia a sol, você abomina Natal e ela detesta o Ano Novo, nem no ódio vocês combinam. Então?
Então, que ela tem um jeito de sorrir que o deixa imobilizado, o beijo dela é mais viciante do que LSD, você adora brigar com ela e ela adora implicar com você. Isso tem nome.
Você ama aquele cafajeste. Ele diz que vai e não liga, ele veste o primeiro trapo que encontra no armário. Ele não emplaca uma semana nos empregos, está sempre duro, e é meio galinha. Ele não tem a menor vocação para príncipe encantado e ainda assim você não consegue despachá-lo.
Quando a mão dele toca na sua nuca, você derrete feito manteiga. Ele toca gaita na boca, adora animais e escreve poemas. Por que você ama este cara?
Não pergunte pra mim; você é inteligente. Lê livros, revistas, jornais. Gosta dos filmes dos irmãos Coen e do Robert Altman, mas sabe que uma boa comédia romântica também tem seu valor.
É bonita. Seu cabelo nasceu para ser sacudido num comercial de xampu e seu corpo tem todas as curvas no lugar. Independente, emprego fixo, bom saldo no banco. Gosta de viajar, de música, tem loucura por computador e seu fettucine ao peste é imbatível.
Você tem bom humor e não pega no pé de ninguém. Com um currículo desse, criatura, por que está sem um amor?
Ah, o amor, essa raposa. Quem dera o amor não fosse um sentimento, mas uma equação matemática: eu linda + você inteligente = dois apaixonados.
Não funciona assim.
Amar não requer conhecimento prévio nem consulta ao SPC. Ama-se justamente pelo que o Amor tem de indefinível.
Honestos existem aos milhares, generosos têm às pencas, bons motoristas e bons pais de família, tá assim, ó!
Mas ninguém consegue ser do jeito que o amor da sua vida é! Pense nisso. Pedir é a maneira mais eficaz de merecer. É a contingência maior de quem precisa.

Arnaldo Jabor

15 de jan de 2011

O Aleph

Terminei de ler o livro de Paulo Coelho, "O Aleph". Me inaginei escrevendo de Paulo Coelho aqui e as pessoas torcendo o nariz, já que se tratando de Paulo Coelho, as pessoas ou O ama ou O odeiam, eu posso dizer que ainda estou no caminho... de amar, ou odiar, quem sabe?!! haha.
O Aleph, trata de um assunto delicado... Vidas Passadas!! Esse assunto pode agradar algumas pessoas e desagradar outras. Eu confesso que nunca havia parado pra pensar nisso, para mim, era um caso encerrado, no qual eu decidira não acreditar e ponto. Mas, com a leitura desse livro passei a questionar algumas coisas, e começo a ter curiosidade de, quem sabe, estudar um pouco mais a fundo isso.
Voltando ao livro... Ele retrata a história do próprio autor, que em conflito com o seu mundo, resolve sair de viagem... Como um rei em busca de seu reino (assim ele define). E o caminho escolhido é a ferrovia Transiberiana, na Rússia.
Um encontro inesperado e um acontecimento inexplicável, começam a envolver os personagens principais em uma grande busca, muitas vezes, confusa, e em outras vezes clara, como um dia ensolarado.
Posso lhes dizer que em vários momentos parei a leitura e questionei a veracidade dos acontecimentos, mas, mesmo com dúvidas continuei a ler até o final, e posso lhes garantir que tive... UMA VIAGEM IMPRESSIONANTE!!
O que não deixa dúvida alguma, são as frases, uma mais linda que a outra, e o resultado disso são aprendizagens únicas. Algumas delas..

"As palavras são lágrimas que foram escritas. As lágrimas são palavras que precisam jorrar. Sem elas, nenhuma alegria tem brilho, nenhuma tristeza tem final."

"O tempo não é uma fita cassete, que podemos mover para frente e para trás."


"Essa é a qualidade do guerreiro: entender que vontade e coragem não são a mesma coisa. Coragem pode atrair medo e adulação, mas força de vontade requer paciência e compromisso."


"Esqueça que irá contar isso aos outros. O tempo é aqui. Aproveite."


"Quem deseja ver o arco-íris precisa aprender a gostar da chuva"


"Sonhadores, não podem ser domados."


"Você pode passar a sua vida culpando o mundo, mas seus sucessos ou suas derrotas são de sua inteira responsabilidade."


"Os que te odeiam são admiradores secretos incapazes de compreender porque tantos te amam."


"Você não é derrotado quando perde. Você é derrotado quando desiste."


E por aí vai, tem muitas outras... PERFEITAS!!
Se tiver um tempinho, simbora ler, garanto que é uma experiência indescritível. ;)